Como ficar sozinha e se divertir

Esses dias vi um post em um dos meus blogs favoritos, o Design, Love, Fest, que me fez pensar.

O post era sobre como ficar sozinha feliz e me dei conta de que esse é um problema bem comum. Conheço muito gente que tem uma certa estranheza em ficar sozinha (eu tenho!), e acho que essa é uma questão importante a ser lidada/superada.

Na Europa ou Estados Unidos é comum ver pessoas jantando sozinhas num restaurante, tomando um café ou mesmo indo sozinhas ao cinema e super curtindo esse tempo “consigo mesmas”. Mas aqui no Brasil se você faz isso as pessoas te olham com cara de dó, de cãozinho abandonado… Rs! Não que eu me preocupe com o que os outros estejam pensando, mas sinto que é algo com o qual algumas pessoas se incomodam de verdade.

Acho que ter um tempo para nós mesmos, saber aproveitar a nossa companhia, estar a sós com nossos pensamentos é muito importante e pode ser bastante enriquecedor. Quando tudo ao nosso lado está quieto, calmo, é quando podemos parar e pensar em nossos desejos e questões mais profundas.

Bom, mas como tem gente que ainda acha difícil ser feliz sozinha e acaba ficando muito ansiosa com a ideia, resolvi reproduzir algumas das dicas que li neste post e acrescentar algumas minhas. Vamos lá:

– Crie seus rituais: uma rotina. Algo do tipo acender velas quando chegar em casa, ler um capítulo do livro que está empacado na cômoda, fazer 5 minutos de meditação pela manhã, rezar, colorir… Enfim, algo que te de uma sensação boa, de calmaria.

– Comece a assistir a alguma série: acompanhar uma série de TV é uma ótima opção para não cair na onda “deprê”. Você ocupa a cabeça, se diverte e nem vê o tempo passar. Qual a série com mais temporadas? Minhas favoritas: Game of Thrones, Damages, The Walking Dead, Sex and The City, Friends. Quero começar House of Cards e Scandal!

– Música: se você tem uma rotina corrida, anda estressada e cheia de coisas na cabeça, pode ser um pouco difícil ficar sozinha. Afinal, com quem conversar e liberar tudo? Uma ótima opção é escutar um pouco de música. Algo que te lembre alguém especial, uma viagem incrível ou que seja mais zen e te acalme (Spotify tem várias playlists boas – eu tô lá. Me sigam – procurem por Bia Perotti).

– Cozinhe: teste uma receita nova. Aprimore seus dons culinários e se mime com uma boa refeição.

– Cuide de alguma coisa: dê mais amor aos seus animais de estimação ou arrume uma plantinha, flores. Quando cuidamos de algo nos sentimos menos sós.

– Arrume a casa: além de ocupar um pouco seu tempo, é muito bom ficar numa casa limpinha, organizada e cheirosa, né? Cuide do seu cantinho, pode ser uma boa terapia. Invista em velas, uma boa caixa de som, adega recheada… Hmmm!

– Faça planos: já dizia minha avó “cabeça vazia é oficina do diabo”. Ok, não precisa chegar a tanto, mas vocês entenderam o princípio? Pesquise sobre uma próxima viagem, um curso novo para fazer, planeje um jantar para os amigos… Esse tempo é ótimo para planejar tudo com cuidado e pensar claramente em todos os seus objetivos, pessoais ou profissionais.

– Saia fotografar: pode ser com o celular ou câmeras antiguinhas – eu adoro! A expectativa de revelar o filme e ver seus cliques é muito legal.

– Cante: quem canta seus males espanta! Se não conseguir soltar a voz no chuveiro, convide seus amigos para uma jam session em casa. Vale até gravar e publicar no insta ou Youtube. No mínimo diversão garantida! Esse encontro pode ser regado a drinks e comidinhas gostosas.

– Aprenda a se amar: essa é parte mais difícil para algumas pessoas. Mas uma boa dica é toda noite antes de dormir pensar em algo bom sobre você, algo do qual você se orgulhe. Pode ser uma boa ideia no trabalho, ter conseguido ver (e entender tudo) de um filme em francês sem legenda ou simplesmente ter resistido à tentação de comer aquele chocolate que te ofereceram. Não importa se for algo pequeno ou significativo, tenha orgulho e admiração por essa conquista.

Prontos para aproveitar sua própria companhia?

5 comentários COMENTE TAMBÉM

[…] Esse link tem algumas dicas práticas para se divertir sozinha – isso era uma coisa que muita gente me perguntava quando vim morar em Paris. “Mas você vai aos restaurantes sozinha?”, e apesar de companhia nunca ter me faltado, faço muita coisa sozinha, sim, porque eu gosto. E quanto mais velha eu fico, mais vou gostando, deve ser o “mal” das pessoas muito tímidas haha. […]

Adorei! Vou seguir as dicas e aprender a ser feliz mesmo sozinha! 😀

Comentários fechados.