Uruguai: Punta, Montevideo e Colonia del Sacramento

Muitas me acompanharam pelo instagram e puderam já anotar algumas dicas dos lugares onde estive, mas claro que não poderia deixar de fazer um diário completinho não só com endereços, mas uma narrativa da minha experiências.

Viajei com meus pais e irmão para o Uruguai (Punta del Este, Montevideo e Colônia del Sacramento – 5 dias) e depois Argentina (Mendoza e Buenos Aires – 6 dias).

Preparadas? Vamos lá:

O voo de São Paulo a Montevideo demora 2h30. Chegamos a capital uruguaia e já pegamos o carro no aeroporto. Reservamos do Brasil pela Rental Car e escolhemos a locadora Punta Car, uruguaia, com o melhor custo-benefício. Recomendo alugar com GPS ou comprar um chip já no aero (Moviestar). Alugamos em Montevideo e deixamos em Colônia del Sacramento. Dica: não vale a pena trocar real/dolar em pesos no aeroporto. Troque apenas o suficiente para os pedágios: são dois de 65 pesos cada. Lá eles pagavam 7.1 pesos por real, enquanto na cidade compramos por 8.8!

Pegamos a estrada rumo a Punta: 120km, que fizemos em 1h30. A estrada é de qualidade boa, com velocidade permitida de 90-110km/h. Ao longo dela, nos chamou a atenção vários “cemitérios” de carros e coisas antigas.

PUNTA DEL ESTE —

Chegando em Punta, a direita fica Punta Balena, onde está localizada a Casa Pueblo, construída pelo artista plástico Carlos Vilaró. Fomos conhecer o museu (180 pesos = 20 reais por pessoa). Vale a pena pelo visual incrível! Na loja do museu eles vendem diversas gravuras do artista. Teeem que ver o por-do-sol, muito lindo. Atenção: em dezembro ele se põe entre 20h30 e 21h. Chegamos cedo e tivemos que esperar bastante. Um pouco a frente, a uns 800m de lá, tem um mirante do qual você consegue observar a orla de Punta e a Casa Pueblo. Vale a parada. Tem barraquinhas vendendo artesanato e pedras brutas e semi-preciosas. Para quem curte, é uma boa pedida. Pechinche! ; )

Entrando na cidade, uma agradável surpresa: que cidade linda! Limpa, planejada, paisagismo impecável e construções modernas e baixinhas. A direita, na orla tem uma passarela de madeira sobre a areia. Faça um pit stop para avistar o mar e o agito da praia.

Ficamos hospedados 2 dias em um apart hotel na rua lateral do Casino Conrad (av. Chiverta), o Sol y Luna Spa Hotel. É bem novinho, bem localizado e com café da manhã. Estávamos no extremo da península, entre as praias Brava e Mansa. Na Brava tem o monumento dos dedos na areia (difícil conseguir uma foto sem “intrusos” rs! Vá bem cedo para garantir a sua). Já na Mansa, vale a pena curtir o fim da tarde caminhando ou tomando um drink ao por do sol. Tem vários restaurantes por lá, mas os locais preferem levar seu habitual chimarrão. Adorei!

As lojas mais legais ficam na rua Remanso e suas perpendiculares. Destaque para a Gala (bijoux étnica – Calle 29 entre Remanso e Gorlero), Kallalith (décor, papelaria, bijoux e souvenir lindos), La Compañia del Oriente (décor) e a ferinha de artesanato que fica em uma praça na Rua Gorlero (lá comprei as caixinhas de marchetaria lindas que vou usar como clutch! Depois vi as mesmas 4x mais caras! Contato: [email protected] – Taller Luzardo) Os famosos Churros Manolo ficam na 29 com a Gorlero (estava fechado, pena!) e sorvetes Freddo.

Para jantar, fomos nas indicações que recebi: La Marea (pedir a tabla de mariscos), Cuatro Mares (pedir o confit de cordero e a sobremesa de pave de doce de leite).

Punta tem várias praias, então é legal ter carro para se deslocar. A da Jose Ignacio é uma das mais lindas e super recomendaram o restaurante Huella – vale a pena mesmo! É bem disputado, por isso façam reserva um dia antes. O forte são os pratos com frutos do mar! O melhor prato foi o de arroz de camarão e, não estranhe, com feijão preto. Sensacional! O ceviche também é ótimo. Como sobremesa, peça o vulcão de doce de leite. Já estou com saudades! Ao lado do restaurante tem uma loja bem bonita, a Sentido, com itens de decoração e bijoux especiais.

No caminho entre Jose Ignacio tem as praias La Barra e Manantiales. Só passamos por elas… O que nos chamou a atenção foram as casas – que espetáculo! Voltando a Punta, para quem curte, o Casino Conrad merece uma visita. A entrada é gratuita e no dia que fomos tinha uma banda ao vivo bem legal! Muuuuuitas máquinas “caça-níqueis” e mesas animadas de roleta e cartas.


MONTEVIDEO —

No retorno a Montevideo, ficamos por lá no fim de semana, o que foi bom e ruim. Bom porque estava tranquilo o trânsito, mas ruim porque muitos dos lugares que queríamos visitar estavam fechados. Ficamos no bairro Pocitos, no Massini Suites, um apart.

Chegamos no almoço e fomos direto ao famoso Mercado do Porto. É curioso para conhecer pelas várias churrascarias e movimentação de turistas e locais. Optamos pelo recomendado El Palenque e pedimos o bife de ancho com hueso e um mix de carnes diferentes como morcilla, frango, linguiça, molejas… Como acompanhamento a batata doce grelhada – e é uma delícia! Para acompanhar, a cerveja Patricia é a tradicional de lá. Ah! Não dá para esquentar… Não tem como não sair defumado!

Saindo de lá, a pé mesmo, passeamos pela Ciudad Vieja para fotografar e conhecer o centro antigo, com prédios históricos e praças. Destaque para o Teatro Solis, Museu de Artes Visuais, o portal da entrada da cidade, as construções antigas etc. Nos recomendaram, mas não conseguimos ir porque estavam fechados os restaurantes Es Mercat e Confeitaria 25 de Mayo.

Recomendamos os restaurantes La Solano e Francis – ótima comida. No Solano peçam o linguado com abóbora e como entrada os chipirones e calamares. O salmão teriaki com legumes também era uma delícia! No Francis tudo era maravilhoso: confit de cordeiro com molho de Tannat e purê de batata, risotto de funghi e risotto de cordeiro. De sobremesa, crema catalana e mousse de doce de leite! Uma surpresa boa foi o vinho Dadá (Malbec + Bonarda), sugerido pela sommelier. Ótimo custo! Trouxemos uma garrafa.

No domingo de manhã rola a famosa  e enorme feira Tristán Narvaja. É um vale tudo: frutas, coisas da China, galinhas. O que me agradou foram as barracas e lojas de antiguidades que ficam concentradas entre as ruas Paysandú e Cerro Largo (inclusive nas perpendiculares), do lado esquerdo de quem desce. Garimpei peças antigas para transformar em acessórios/joias. Um espaço lindo é a Libraria Babilonia! Só livros antigos (quase morri de rinite. Rs!), mas é encantadora pelo décor.

Imperdível o por do sol na Rambla em frente ao Parque Rodó, após às 20h30. Nunca vi nada igual. Vale a pena levar um vinho Don Pascual (no super Disco, no shopping Punta Carretas tem preços ótimos!)

Dicas extras das leitoras: Restaurante Tandory, Irish Pub e Funfun.


COLONIA DEL SACRAMENTO —

Saindo de Montevideo, ainda de carro, seguimos para Colônia del Sacramento. São 185km que fizemos em 2h30. Chegando na cidade, nos chamou a atenção que alguns km da estrada são ladeados por tamareiras enfileiradas. =)

O centro histórico é lindo: rústico, charmoso, com ruas de pedra e paralelepípedo que lembram Paraty. Devolvemos o carro e fizemos tudo a pé. Dá para alugar carrinhos tipo de golfe ou até mesmo lambretas para se locomover!

Ficamos no apart hotel Altos del Plata. Uma graça! Tem vista para o rio, academia e piscina coberta. Só não tem internet, mas foi bom para relaxar e ficar offline mesmo. Ele está na parte mais moderninha da cidade.

Almoçamos no Buen Suspiro na Calle Los Suspiros. É super simples, mas uma delícia! Pedimos picadas (porções) para acompanhar o vinho Cuna de Piedra, com uva Tannat, típica de lá. Peçam o combo “Monja” que serve seis. Se gostar do vinho leve porque não tem no free. O Don Pascual também é ótimo, de Pinot Viejo. Ah! Os queijos são famosos por lá. Adoramos o de cabra.

Pós almoço fomos passear pelas ruas, com pitstop no farol – lindooo! Pena que estava nublado. Deve ter uma vista linda do por do sol.

Os sorvetes do Bortolot são muuuito bons e vale uma parada na De la Plaza, loja do Eduardo, um gaúcho de Porto Alegre muito simpático que transformou sua casa em loja e pousada com décor moderninho e super design – fica na praça princpial. Na minha próxima visita quero me hospedar lá! Visitem: Posadita de La Plaza. Muito bem localizada! Comprei um quadrinho da Frida, pintado na madeira super lindinho.

A noite fomos curtir o por do sol no restaurante do hotel Charco. A vista do rio, das plantas e o colorido do céu mais parecem um quadro. Precisamos reservar, já que é bem concorrido! As pedidas foram: Atum grelhado com gergelim acompanhado de legumes (minha escolha, demais!), arroz com camarões e Agnoloti de salmão com creme de limão siciliano. Hmmm!

Algumas leitoras também recomendaram os restaurantes La Florida, El Drugstore, La Bodeguita e Casagrande (doces).

Na manhã seguinte pegamos o Buquebus (ferry) para irmos a Buenos Aires – compramos antecipadamente por internet, no Brasil e foi super tranquilo. A travessia demora 1h, mas por conta do fuso (-1), ficamos “parados no tempo”. Dentro dele tem uma loja freeshop e parece um avião giga.

Chegamos a Buenos, no aeroporto Aeroparque, onde pegamos o voo para Mendoza. Mas esse já é assunto para o próximo post… Vai perder?

Espero que tenham gostado! Compartilhem suas dicas nos comentários para que outras pessoas possam aproveitá-las em suas viagens. ; )

7 comentários COMENTE TAMBÉM

Bia, vi seu post no instagram dizendo como você demorou pra escrever o guia e vim comentar. Comecei o meu próprio blog há poucos meses e realmente: dá muito trabalho! Só queria te parabenizar pelo capricho, porque só quem faz um blog pra saber mesmo como é difícil postar todos os dias, ainda mais com um conteúdo tão interessante como o que vejo aqui.
Beijos, ainda mais sucesso pra você 🙂

Bia, depois de ver seu post, me deu uma vontade enorme de voltar a Montevidéu! Me fez lembrar porque gostei tanto do Uruguai! O Francis é só amor! Punta é uma delícia e a Casapueblo é uma das coisas mais fantásticas do mundo! Agora, quero voltar para conhecer Colonia del Sacramento 🙂
Adoro ver os seus achados nas viagens e o guia ficou ótimo para quem quer conhecer ou voltar ao lugar. Tenta fazer um de BsAs! Bjs!

Sou brasileira e trabalho em uma agência de turismo aqui no Uruguai, é muito gratificante apresentar esse pequeno e encantador pais aos turistas! Sejam bem vindos! http://www.uruguias.com.uy

Olá Bia,
Adorei o site ..Era exatamente o que buscava pois farei praticamente o mesmo roteiro que você.
Você se incomodaria em me dizer onde alugou o carro em montevideu?
Beijos,
Natália

Querida, não são chãos de mosaico, e sim pisos de mosaico.rrrrrrssssss

Querido, as duas formas são corretas. Rsssss

Olá Bia, boa noite! Vou para o Uruguai em novembro e estou pensando em alugar em carro e fazer viagens bate-volta para Colônia e Punta. Gostaria de saber se é fácil de encontrar postos de gasolina nas cidades e também pelas estradas. Eles funcionam como no Brasil, com frentista? Ou é no estilo americano, self-service?. Além do mais, queria saber se existem regrar próprias do país para estacionar/parar os carros na rua, como por exemplo o sistema rotativo ou faixa azul aqui no Brasil. Ou podemos parar em qualquer vaga que aparecer?
Desde já agradeço pela atenção e parabéns pelo site.
Abraço.

Comentários fechados.