Mais do que só bacalhau, ô pá.

Por Olivia Cho 

Acabo de voltar de Lisboa. Já tinha uma expectativa enorme sobre a gastronomia portuguesa, mas meu conhecimento não ia muito além de “o bacalhau, o azeite e frutos do mar de lá, em geral são bons”. Depois dessa estada em Lisboa, descobri que não são só bons, mas sim excepcionais. E ao contrário da maioria, a qualidade por lá não custa caro. Me afundei nas tascas, marisqueiras e bares. Tive a grande sorte de conhecer pessoas incríveis com a mesma curiosidade gastronômica que eu, e que já tinham uma lista de seus locais favoritos.

Então, aqui vão alguns que já estão em meu coração:

Restaurantes em Lisboa - por Olivia Cho

. Sol e Pesca
Se voce é daqueles que acha que a palavra “enlatados” só significa peixe de segunda, recomendo ir ao Sol e Pesca. Sente em uma das mesinhas no meio da rua, em qualquer fim de tarde, peça um vinho e abra o cardápio. Um novo mundo se abrirá para você, trazendo delícias em conserva como o “presunto de atum”, ovas de bacalhau e sardinhas, postas de bacalhau defumado etc. As embalagens dispostas em uma vitrina no interior da loja são uma atração à parte, pelo design vintage e simples. Onde? R. Nova do Carvalho, 44 – Cais do Sodré

. Restaurante Toma Lá Dá Cá
Em uma ruazinha escondida entre descidas e subidas, este é um restaurante que provavelmente eu não descobriria sozinha. Mas vale cada impulso nessas panturrilhas, a comida é farta e maravilhosa: jaquinzinhos, pataniscas de bacalhau, gambas no alho, emince rosty etc. Não se esqueça do arroz de tomate. E não deixe de pedir o bolo de chocolate como sobremesa. Hmmm! Com vinho, não sai mais de 11 euros. Onde? Travessa do Sequeiro,  38 – Chiado

. Cervejaria Ramiro
Depois que o Anthony Bourdain foi ao Ramiro, ele nunca mais foi o mesmo. Sempre cheio, fui três vezes e em todas tinha uma pequena espera. Mas aprendi com um dos meus amigos locais que, se você for até o balcão e pedir uma “imperial”, eles normalmente já te dão uma mesa de cara. Então #ficaadica. Mas, se tiver que esperar, persevere. Tem um camarão-tigre gigante lá te esperando, junto com as amêijoas à bulhão pato – quentinhas, com um molho absurdinho de bom pra “xuxar” o pão – e gambas ajillo. Ah, e sim, outras estranhices como o percebes, um marisco que foi carinhosamente apelidado por nós de “patas de dinossauro”. Tem toda uma manha de como abrir o bicho pra degustar essa delícia, e são mais caros porque a sua pesca/colheita é coisa pra homens com muito culhões. Mas, não se intimide, dê ainda mais valor a esses bichinhos e vá em frente. Onde? Av. Almirante Reis, 1- Intendente

. Taberna Rua das Flores
Pouquíssimas mesas, num ambiente charmoso. Se não quiser esperar em uma fila gigantesca, vá no almoço. A pedida aqui, sem erro, é o gaspacho. Mas se ainda tiver apetite, vai na fé e escolha… qualquer outro prato! O menu do almoço muda todos os dias, e todas as vezes que eu fui, foi sempre muito bom. Em um deles, pegamos um “noodles japonês na tinta do choco e chocos grelhados”. Delicioso! Peça a cerveja artesanal, do Porto, que ela virá geladinha em uma taça…de vinho. Onde? R. das Flores, 103 – Chiado

. O Cantinho do Bem Estar
Confesso que fui um pouco apreensiva a este restaurante: dizem que o atendimento é péssimo, e que dono é aquele típico dono de Tasca, grosseirão. Mas meu nervosismo foi logo esquecido quando chegou à mesa o Gambas ao Alho, envoltos em um molho desesperadamente bom, de alho e mostarda, mais jaquinzinhos crocantes e o entrecosto do dia, que derretia na boca. O garçom não era mesmo um poço de simpatia, mas eu juro que vi uns quase sorrisos. E depois daqueles pratos maravilhosos, nada e ninguém ia afetar meu bom-humor. Imperdível! Onde? R. do Norte, 46 – Bairro Alto

Quem gostou e salivou só de ler, clica no coração ♥
É minha estreia por aqui e vou adorar sem recebida com amor. Rs!

7 comentários COMENTE TAMBÉM

Estava a procura de dicas, pois, vou lá em dezembro.
Salivei demais, comida boaaaaaaaaaaaaaaa nessa terra.
Bjs

Adorei! Ja com gua na boca! To indo em setembro e vou la conferir tuas dicas 😉

Boa tarde! Bia

Amei sua matéria sobre Lisboa, já fui uma vez e pretendo voltar.
Com certeza vou seguir suas dicas.

Abraço
Ana

Que não se tenha mesmo duvidas que Lisboa é bem mais que bacalhau… aliás, até é “muito pouco bacalhau” comparativamente ao resto do país… Não há melhor…
E uma casa de fados?!? Como não…?

Hello, td bem???? Sou semi prima da Bia, ela namora o meu primo e eu entro aqui sempre. Tbm tenho um blog, mto de brincadeira, nao é um trabalho, mas la eu coloco de um tudo e ja tinha pensado em juntar td q eu sei de viagem… Como nao tenho dicas de Portugal pq nao conheço estou colocando o seu link, ok!? Estou dizendo que é desse site, e coloquei o link, entao créditos seus, ok!? De qq forma, se vc achar q nao é legal eu fazer esse copy paste me avisa q eu tiro do ar, ok?!

Valeu e boa sorte no novo trabalho.

Amo aquela terra. Onde melhor se come na Europa. Gosto da parte antiga da cidade, com casarões e edifícios seculares, porém, bem cuidados.
Indico o restaurante Marítimas de Xabregas. O bacalhau fresco com muito alho, azeite, batatas e azeitonas é demais. Tem outros também, dentre os quais um mais simples, perto do Hotel Mundial, que fui num domingo a noite. Nunca comi um salmão tão bom. Na brasa e por pouco mais de sete euros. Inacreditável.

Comentários fechados.